• Instagram

Governo do Maranhão promove curso de capacitação em libras para profissionais de saúde

“O parto do meu filho foi perfeito, ter a oportunidade de ter tido um intérprete de libras no momento do parto foi inesquecível, pude fazer várias perguntas ao médico e fui respondido com muita prontidão, realmente foi um momento especial”, contou Maik Waldemar, primeiro pai do Brasil que teve o auxílio de um intérprete de libras na hora do parto.

Da necessidade do Maik e dos mais de 9 milhões de surdos do Brasil, o Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES) em articulação com a Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) e em parceria com a Associação de Surdos do Maranhão (ASMA), promoveu o 1º Curso de Capacitação em Libras para Profissionais de Saúde.

O curso “Saúde em Libras” iniciou na tarde desta terça-feira (06), na Maternidade Marly Sarney, local onde, no ano passado, foi realizado o primeiro parto do Brasil com auxílio de intérprete de Libras na rede pública de saúde. O curso vai capacitar 90 profissionais, divididos em 3 turmas de 30 pessoas, durante os turnos da manhã, tarde e noite, sempre adequando o horário de trabalho do profissional de saúde à carga horária do curso de 40 horas. A capacitação será ministrada por professores de libras acompanhados de uma pessoa portadora de surdez.

Para o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, o projeto é pioneiro e vai ajudar muito na universalização de serviços de saúde prestados ao usuário da rede pública. Além disso, o secretário enfatizou a possibilidade de ampliação da capacitação. “Inicialmente ofertaremos o curso para os profissionais das maternidades e a ideia é expandir para toda a rede de saúde para que possamos combater essa desigualdade de comunicação com pessoas com surdez, fazendo a capacitação desses profissionais para que possam fazer o atendimento em libras”.

De acordo com o secretário de Estado dos Direitos Humanos, Francisco Gonçalves, a iniciativa do Governo do Maranhão é um ato de reconhecimento à cidadania da pessoa surda. “Esse é um projeto extraordinário. Hoje a Secretaria de Estado da Saúde adota uma decisão importante de humanização do atendimento aos usuários do sistema de saúde do Maranhão com a capacitação do profissional de saúde em libras. Essa é uma questão fundamental para garantir um atendimento de melhor qualidade aos usuários que são surdos e enfrentam dificuldade de comunicação. É um esforço que vem sendo travado com a sociedade civil, com o Conselho Estadual de Direito com a Pessoa com Deficiência e que a SES efetiva agora”, explicou.

Para a Secretaria Adjunta e Presidente do Conselho dos Direitos da Pessoa com Deficiencia, Beatriz Carvalho, essa é uma demonstração de que o Estado compreende as necessidades do segmento. “Esta é uma demonstração de compreensão de que acessibilidade vai além da arquitetura: rampas, portas largas, etc. O atendimento universal e igualitário só será alcançado com a garantia da acessibilidade também na comunicação. A execução desse treinamento cumpre alem de uma determinação prevista nas legislações que garantem os direitos das pessoas com deficiência, uma recomendação feita pelo Conselho Estadual, desde agosto de 2017, em um longo processo de discussão a partir do Comitê Gestor Estadual de Política da Inclusão da Pessoa com Deficiência”, afirma a secretária.

Os avanços para a inclusão de profissionais à rotina de pessoas com surdez continuam e em breve será lançado um dicionário de sinais para os profissionais de saúde, contendo tanto sinais que auxiliarão na conversação, quanto sinais para termos técnicos aplicados no cotidiano dos profissionais, termos como injeção, centro cirúrgico, bisturi entre outras palavras.

Desenvolvimento © SEATI | www.seati.ma.gov.br